Sábado, 1 de Abril de 2006

A História do Ar Condicionado


 Syracuse, New York - há noventa e cinco anos, Willis Carrier fez pelo controle de condições ambientais internas o que Alexandre Graham Bell fez pela comunicação e Henry Ford pelo transporte. Ele mudou nossa rotina. Durante séculos, o homem usou o ventilador, gelo e muitos outros métodos em tentativas inúteis para livrar-se do calor. Foi em 1902 que Willis Carrier - um engenheiro de 25 anos formado pela Universidade de Cornell - inventou um processo mecânico para condicionar o ar. O controle do clima finalmente tornou-se uma realidade.
 A invenção de Carrier foi uma resposta direta a problemas específicos de uma indústria: a Sackett-Wilhelms Lithography and Publishing Co. no Brooklin, New York, que estava tendo problemas com trabalhos de impressão durante os quentes meses de verão. O papel, absorvendo a umidade do ar, se dilatava. As cores impressas em dias úmidos não se alinhavam nem se fixavam com as cores impressas em dias mais secos. Isso gerava imagens borradas e obscuras.


 A Sackett-Wilhelms Lithography and Publishing Co., onde foi feita a primeira instalação de condicionador de ar por Carrier.

Willis Carrier, que estava trabalhando para a Buffalo Forge Co., foi chamado para resolver o problema. Ele teorizou que poderia retirar a umidade da fábrica através de resfriamento do ar por dutos artificialmente resfriados. Este processo, que controlava a temperatura e umidade, foi o primeiro exemplo de condicionador de ar contínuo por processo mecânico.

A indústria têxtil, que também tinha grande necessidade de controle ambiental, foi o primeiro grande mercado para o condicionador de ar. Logo em seguida o condicionador de ar, passou também a ser usado em diversos prédios e instalações de indústrias de papel, produtos farmacêuticos, tabaco e estabelecimentos comerciais.

 A primeira aplicação residencial foi na mansão de Charles G. Gates de Minneapolis, no estado de Minnesota, em 1914. O Dr. Carrier desenhou um equipamento especial para residências medindo 6m de profundidade, 1,8m de largura e 2,1m de altura, que era considerado maior e menos sofisticado que os atuais condicionadores de ar residenciais.

A mansão de G. Gates, primeira residência com condicionador de ar.


 Outra importante aplicação deu-se quando, em1914, Carrier instalou o primeiro condicionador de ar hospitalar no Pittsburg Alleheny General Hospital. O sistema introduzia umidade extra no ambiente de um berçário de partos prematuros, ajudando a reduzir a mortalidade infantil causada pela desidratação.

Maternidade de Allegheny General Hospital.




 A máquina de refrigeração centrífuga, desenvolvida em 1922 por Willis Carrier, que já comandava sua própria empresa desde 1915, usava um refrigerante de sua própria criação, o Dielene, em substituição à amônia. Durante a década de 20, com o advento do Dielene, o condicionador de ar tornou-se mais acessível ao público em teatros, lojas de departamentos e outros prédios públicos. A figura ao lado mostra a primeira máquina de refrigeração centrífuga que usava o Dielene.

 Casa de espetáculos enfatizando nos letreiros o uso de condicionador de ar. O condicionador de ar teve seu primeiro "début" em público em 1922, no Grauman's Metropolitan Theater em Los Angeles. Em 1925 foi a vez de Rivoli Theater, no Times Square da Brodway, atrair grande público com a promessa de oferecer uma central de refrigeração para mantê-lo confortável. Na verdade o condicionador de ar ajudou muito a indústria cinematográfica, pois nos meses de verão, a freqüência nos cinemas caía consideravelmente e vários deles permaneciam fechados neste período. Por isso mesmo os estados do sul dos Estados Unidos foram os primeiros a se utilizarem dos novos sistemas que, por volta dos anos 30, já equipavam a maioria dos teatros e cinemas do país.

 Em 1924, o condicionador de ar passou a ser utilizado para refrigerar os ambientes de grandes estabelecimentos comerciais e lojas de departamentos em Detroit, Boston e New York, além de prédios e escritórios. O Edifício Milan, em San Antonio, no estado do Texas, construído em 1928, foi o primeiro edifício comercial multipiso projetado desde o início para incorporar um sistema de ar condicionado. Um cartaz em frente à construção prometia aos futuros ocupantes "saúde, eficiência e conforto através da temperatura interna controlada pelo homem". A figura mostra um cartaz no local da construção do edifício Milan em San Antonio, Texas.

 Carrier também equipou a Câmara dos Deputados dos EUA com condicionadores de ar em 1928, o Senado americano em 1929 e os escritórios executivos da Casa Branca em 1930, tornando mais agradável o verão quente e úmido de Washington. Um dos veículos de transporte utilizando condicionador de ar. Os vagões ferroviários foram os primeiros veículos de passageiros a serem equipados com condicionadores de ar em 1930 pela ferrovia B&O.

 Também nos anos 30 Willis Carrier desenvolveu um sistema que viabilizou o ar condicionado em arranha-céus. O sistema utilizado na época ocupava muito espaço, com grandes dutos ao longo de paredes e tetos para distribuir o ar condicionado produzido em grandes centrais; portanto, esse sistema entrava em choque com o principal conceito de um arranha-céu, que é minimizar espaços. Em 1939, com a criação do sistema de distribuição do ar em alta velocidade através de dutos "Weathermaster", Carrier revolucionou mais uma vez o ar condicionado resolvendo o problema de espaço. A figura mostra as primeiras unidades residenciais também utilizadas em pequenos estabelecimentos comerciais.

 No final dos anos 30 também ocorreu a introdução do condicionador de ar residencial. Isto tornou-se possível através da disponibilidade de um gás refrigerante não inflamável - o freon, que tornou o condicionador de ar mais seguro, mais barato e mais apropriado para uso em máquinas de refrigeração de menores capacidades.

Através dos anos 40 a maioria dos condicionadores de ar residenciais eram usados para refrigeração de pequenos estabelecimentos comerciais. O condicionador de ar ainda era muito caro para largo consumo residencial. Somente nos anos 50 chegou-se à produção em massa de unidades relativamente eficientes com o formato de caixas de aço para instalações suspensas, que são os antepassados dos atuais condicionadores de ar de janela, tornando-se acessíveis ao consumidor médio.

Veja na figura acima um condicionador de ar de janela dos anos 50. Carrier contratou um decorador para desenhar esta unidade que se apresentava em três cores para combinar com vários ambientes.

 Em 1952 a Carrier Corporation desenvolveu a primeira produção seriada de unidades centrais de condicionadores de ar para residências. A inovação causou sensação e em duas semanas a totalidadedo estoque foi vendida. Por volta dos anos 60, a central de ar condicionado para residências não era mais novidade. A figura mostra uma unidade de condicionador de ar portátil (1958).

Willis Carrier faleceu em 1950. Ele não viveu para presenciar a expansão do mercado de condicionadores de ar mas suas contribuições à sociedade se perpetuarão na empresa que leva o seu nome.

Em 1958, Willis H. Carrier foi incluído no U.S. National Inventors Hall of Fame. Foi um merecido reconhecimento para o "Pai do Ar Condicionado".

Fonte: Springer Carrier.

publicado por pacar às 21:16

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Mercado de ar condicionad...

. Portaria do Ministério da...

. Ar Condicionado Comercial...

. Modelos de 7500 a 60000 B...

. Bosch apresenta gama de a...

. MODELOS DE AR CONDICIONAD...

. O que você precisa saber ...

. Curso : Engenharia do Ar ...

. Sistema de ar condicionad...

. Climatização de ambientes

.arquivos

. Julho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds